imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

CONCUSSÃO CEREBRAL

Ema Leal

Afliações: Equipa Fixa da Urgência de Pediatria Médica, Área de Pediatria Médica, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;

Divulgação:
Mesa Redonda - Prevenção Quaternária: primum non nocere (15º Congresso Nacional de Pediatria) - Outubro de 2014
Reunião Institucional – Sessão de Encerramento da Semana de Promoção da Segurança Infantil, Hospital Dona Estefânia, CHLC EPE

Resumo: Nos últimos anos tem havido um interesse crescente sobre concussão cerebral, ou traumatismo craniano ligeiro em Pediatria, por parte de sociedades científicas, entidades desportivas e reguladoras de saúde. Tal aspeto prende-se com as potenciais consequências que a concussão cerebral pode ter numa estrutura em desenvolvimento como é o cérebro da criança. Torna-se assim fundamental compreender em que consiste a concussão cerebral, como acontece, quais as manifestações clínicas mais frequentes, com efetuar um correto diagnóstico, como atuar perante um doente com concussão cerebral, qual a evolução esperada e como prevenir a sua ocorrência. O desenvolvimento de escalas validadas que auxiliam quer no diagnóstico de concussão (Acute Concussion Evaluation Form) quer na decisão de realização de exames complementares de diagnóstico, nomeadamente tomografia computorizada (PECARN) revelam-se de fulcral importância. Tão importante como diagnosticar e tratar a criança com concussão cerebral é desenvolver medidas de prevenção primária, secundária, terciária e quaternária. Destaca-se o papel da prevenção quaternária que visa atenuar ou evitar o excesso de intervencionismo médico associado a atos médicos desnecessários ou injustificados, referindo-se neste caso ao recurso excessivo à tomografia computorizada, cuja radiação ionizante tem efeitos secundários não desprezíveis.

Palavras Chave: concussão, cerebral, pediatria