imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

COMPLICAÇÕES INTRACRANIANAS NA MASTOIDITE: É POSSÍVEL MELHORAR O PROGNÓSTICO?

Ana Margarida Garcia1; Catarina Gouveia1; José Pedro Vieira2; Inês Cunha3; Luís Varandas1; Maria João Brito1

1 - Unidade de Infecciologia Pediátrica, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa
2 - Serviço de Neurologia Pediátrica, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa
3 - Serviço de Otorrinolaringologia, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa
- 15º Congresso Nacional Pediatria, 17-10-2014, Albufeira (Poster)

Introdução: As complicações intracranianas da otite média aguda são pouco frequentes, mas potencialmente graves. Incluem a trombose do seio lateral e a meningite, cuja abordagem nem sempre é consensual.
Caso Clínico: Rapaz, 5 anos, previamente saudável, internado por meningismo. Realizou punção lombar (sob protóxido de azoto) sendo diagnosticada meningite com 77 células/uL e predomínio de polimorfonucleares. No dia seguinte, refere otalgia intensa e é diagnosticada otite média aguda e otomastoidite direita complicada de trombose venosa do seio lateral. Iniciou ceftriaxone, vancomicina e enoxaparina e foi submetido a miringotomia e, posteriormente, a mastoantroacticotomia com melhoria clinica progressiva.
Em D15 houve recorrência da cefaleia e observou-se edema papilar bilateral. TAC/RM não revelaram alterações de novo. A pressão de abertura (LCR) era de 40 mmHg, quadro compatível com hipertensão craniana secundária a trombose do seio lateral. Iniciou acetazolamida com boa evolução. O exame cultural, PCR para pneumococo e estudo da trombofilia foram negativos.
Em D21 ocorreu reação grave a antimicrobiano interpretada como síndrome de DRESS. Descontinuou a antibioterapia e iniciou corticóide e anti-histamínico, com normalização do quadro. Dois meses após internamento está assintomático, mantendo enoxaparina.
Discussão: O presente caso pretende alertar para as complicações raras de uma patologia comum. O prognóstico desta patologia depende essencialmente da instituição precoce e adequada de terapêutica médico-cirúrgica, sendo o uso de anticoagulantes ainda controverso em Pediatria.

Palavras Chave: Mastoidite, Trombose Seio Lateral, Síndrome DRESS