imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

BRONQUIOLITE A VSR E SIBILÂNCIA RECORRENTE – REVISÃO E ESTUDO PROSPECTIVO

Elena Finelli1, Margarida Alcafache2, Sara Prates1, Rita Machado2, Paula Leiria Pinto1

1 – Serviço de Imunoalergologia, Hospital Dona Estefânia
2 – Área de Pediatria Médica, Hospital Dona Estefânia
- Sessão Clínica da Área de Pediatria Médica, 4 de Novembro de 2014

A bronquiolite aguda representa uma causa comum de morbilidade nas crianças com idade inferior a dois anos e está associada a um número crescente de internamentos ao longo das últimas décadas; 2% na população geral, chegando a 33% em doentes ex-prematuros com doença pulmonar crónica. Há caracteristicamente picos epidémicos durante o Inverno (nos Países temperados tem sazonalidade de Novembro até Abril), sendo o vírus sincicial respiratório (VSR) o principal agente etiológico isolado. Vários factores foram associados ao risco de hospitalização por bronquiolite, incluídos tabagismo materno durante a gravidez, exposição passiva ao fumo de tabaco, história familiar de asma e atopia. Diversos estudos epidemiológicos encontraram uma forte associação entre bronquiolite a VSR e desenvolvimento de sibilância recorrente (42-71% dos casos), sendo o prognóstico variável (recuperação total versus asma persistente). Estudos de follow-up demonstraram hiperreactividade brônquica até 11 anos após a admissão hospitalar por bronquiolite aguda a VSR.

A associação entre bronquiolite aguda a VSR e sibilância recorrente é debatida há décadas, mas ainda não existe consenso quanto a causalidade. Objetivo desta apresentação é rever as evidências da associação entre bronquiolite aguda a VSR e sibilância recorrente e apresentar o desenho do estudo “Bronquiolite aguda a VSR e sibilância recorrente: follow-up dos doentes internados” que visa a avaliar se a bronquiolite grave a VSR está associada ao desenvolvimento de sibilância recorrente e/ou atopia na nossa população, investigar factores de risco em crianças que tiveram uma primeira bronquiolite a VSR e que desenvolveram posteriormente sibilância recorrente e/ou atopia e estimar os custos relacionados com os internamentos e o seguimento da população estudada.

Palavras Chave: bronquiolite, vírus sincicial respiratório, sibilância recorrente.