imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

ASSOCIAÇÃO ENTRE ANTIPSICÓTICOS DE SEGUNDA GERAÇÃO E ESTIMULANTES NA CLÍNICA PEDOPSIQUIÁTRICA – QUE FUNDAMENTOS CLÍNICO E CIENTÍFICO?

COMBINATION OF SECOND GENERATION ANTIPSYCHOTICS AND STIMULANTS IN CHILD AND ADOLESCENT PSYCHIATRY PRACTICE - CLINICAL AND SCIENTIFIC EVIDENCE?

Rebeca Monte Alto, Rita Rodrigues, Tânia Duque, Juan Sanchez

Área de Pedopsiquiatria, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.
E-mailEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
             Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
             Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

- Apresentação em forma de poster e sua discussão no XXIII Encontro Nacional de Psiquiatria da Infância e Adolescência, 17/5/2012

Introdução: Verifica-se uma utilização crescentedo uso concomitante de antipsicóticos e estimulantes, como o Metilfenidato, no tratamento de diversasperturbações psiquiátricas em crianças e adolescentes, tendo sidoestimado que mais de metade das crianças medicadas compsicoestimulantes,teveum antipsicótico associado em alguma altura dotratamento. No entanto, esta associação tem sido criticada nacomunidade científica pelos potenciais mecanismos de acção opostos.

Objectivos: Com este estudo pretendemos rever os mecanismos de acçãodestas duas classes de psicofármacos e averiguar as indicações esegurança terapêutica da sua associação de acordo com estudos científicos realizados.

Métodos: Pesquisa no PubMedde artigos científicos, referentes à utilização conjunta de estimulantes e antipsicóticos atípicos, seus mecanismos de acção, riscos e benefícios do seu uso concomitante.
Resultados e Conclusões:Vários estudos clínicos em populações de pacientes têm demonstrado a segurança e benefício da utilização concominante de estimulantes e antipsicóticos. Esta associação foi utilizadanos casos de Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção (PHDA) com comorbilidade de Perturbação de Comportamento, Deficiência Mental e na PHDA resistente ao tratamento com psicoestimulante.Se por um lado alguns estudos mostram que estas classes de psicofármacos bloqueiam-se mutuamente, a Teoria Complexa da Dopamina sugere possíveis novos de mecanismos de acção que podem justificaras conclusões promissoras nos estudos clínicos. Os benefícios desta associação justificam a existência de uma maior investigação na área, com ensaios clínicos randomizados.

Palavras-chave: PHDA, Antipsicóticos atípicos, Estimulantes, Metilfenidato, Associação de psicofármacos.
Keywords: ADHD, Atypical antipsychotics, Stimulants, Methylfenidate, Psychotropic drugs combination.