imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

AS VIVÊNCIAS NUMA UNIDADE DE CUIDADOS INTENSIVOS NEONATAIS

EXPERIENCES IN A NEONATAL INTENSIVE CARE UNIT

Joana Pombo - mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Unidade de Internamento Ligação, Área de Pedopsiquiatria, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.

- IV Encontro da Associação Ser Bebé Nascer antes do tempo: as vivências, as intervenções e a ética, 30/11/2012 (comunicação).
- Artigo a publicar na Revista Portuguesa de Pedopsiquiatria em Maio de 2013 (forma integral).

Introdução: A presença de um psicólogo numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais permite a criação de espaços psíquicos alargados, espaços que acolhem emoções, sentimentos e pensamentos diversos e dolorosos, que podem ser colocados em palavras através de um trabalho de elaboração. A gravidez prematuramente interrompida conduz as mães a vivências de perda e, por vezes, a um processo de luto particular. Neste trabalho pretendemos abordar e reflectir sobre as vivências dos diferentes intervenientes (pais equipa técnica e psicólogos), com a ajuda de dois casos clínicos, em que houve perdas neonatais anteriores.

Caso Clínico: Caso Clínico 1: Gravidez gemelar de 24 semanas. Um dos gémeos faleceu ao fim de poucos dias.
O Ricardo, com 24 semanas. Mãe, de 34 anos, pede apoio psicológico pois sente-se muito ansiosa e com sentimentos contraditórios.

Caso clínico 2: Pais de um recém-nascido prematuro de 25 semanas e três dias de idade gestacional. Perderam um bebé, também de 25 semanas e três dias, há 7 meses. O João nasceu de 25 semanas e três dias. O apoio aos pais é pedido pelo neonatalogista, prevendo que o João dificilmente sobreviverá.

Discussão: A experiência emocional destes pais é muito desorganizadora. As situações de prematuridade, com o clima de urgência que implicam, conduzem de forma variada, a um colapso nos espaços de pensamento, nos pais e nos cuidadores, modificando a percepção e a gestão da temporalidade. O psicólogo introduz aqui um espaço de pensamento alargado, que representa o primeiro continente, para acolher e elaborar os movimentos emocionais de cada um. A capacidade do psicólogo de pensar e dar sentido é progressivamente interiorizada pelos pais e pelos elementos da equipa. Esta interiorização permite aos pais "sonhar" com o seu bebé, para que este possa começar a existir na sua mente.

Palavras-chave: prematuridade, unidade de cuidados intensivos neonatais, luto, vivências.
Keywords: prematurity, Neonatal Intensive Care Unit, loss, experiences.