imagem top

2021

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34

TUBOS DE VENTILAÇÃO TRANSTIMPANICOS – CASUISTIA DE 2 ANOS NO HDE

Jose Colaço, Inês Moreira, Luisa Monteiro

Serviço de ORL, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Reunião Clinica do Serviço ORL ,HDE, junho 2013

Objectivo: indicaçações de para a colocação de TVTT e identificação dos tipos de tubos colocados
Materiais: Estudo retrospectivo com consulta dos processos clínicos de todas as crianças entre 1/1/11 e 31/12/12 que  necessitaram de colocar tubos de ventilação transtimpanicos  no serviço de ORL do HDE, sem necessidade de outros procedimentos cirúrgicos adicionais no Ouvido. Forma excluídos deste estudo tubos que foram colocados durante os tempos timpanoplasticos (n:3).
Resultados: Durante os 2 anos analisados, foram colocados neste serviço 908  tubos de ventilação transtimpanicos. Foram colocados 879 TVTT temporários e 39 TVTT definitivos. Os tubos de Shepard  correspondem a 95.7% dos tubos colocados (n:869). Outros TVTT colocados foram: tubos de Goode, Tubos tripod, tubos tinny A indicação mais frequente para colocação de TVTT no serviço de ORL do HDE foi a OSM, tendo este indicação correspondido a uma frequência e cerca de 94%. Outras indicações para colocação de TVTT foram: atelectasias timpânicas (3%), Complicações de OMA (1.9%), Otites de Repetição (1%), Disfunção túbaria (0.1%).
Conclusão: A otite Seromucosa continua a ser a patologia com maior frequência para a colocação de TVTT nas crianças do serviço de ORL do HDE (94%), sendo as que as restantes indicações cirúrgicas perfazem apenas 6% dos TVTT colocados. Os tubos temporários são colocados com maior frequência que os definitivos. Os tubos que foram colocados em maior quantidade neste Serviço foram os tubos de Shepard.