imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

APENDICITE AGUDA NOS TRÊS PRIMEIROS ANOS DE VIDA – REVISÃO CASUÍSTICA DE 5 ANOS

Aline Vaz Silva, Filipa Marques, Maria Knoblich, Cristina Borges, Paolo Casella.


Serviço de Cirurgia Pediátrica, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.

- 5º Congresso SPCMIN (comunicação livre).

Introdução: A apendicite aguda (AA) é a principal indicação operatória em idade pediátrica,sendo pouco frequente em idade inferior a 3 anos. Nesta faixa etária a apresentação é muitas vezes atípica,sendo o diagnóstico difícil e tardio,associando-se a um maior número de complicações.

Objetivo: Caracterizar os episódios de AA em crianças com idade inferior a 3 anos,num período de 5 anos.

Método: Estudo retrospectivo descritivo dos processos clínicos de crianças até aos 36 meses internadas no HDE de 01/10/2006 a 30/09/2011 com o diagnóstico de AA.Os parâmetros analisados foram idade,sexo,proveniência,avaliação clínica,terapêutica prévia ao diagnóstico de AA,exames complementares realizados,diagnóstico intra-operatório e evolução pós-operatória.

Resultados: Foram registados 1459 doentes com diagnóstico de AA, 33 com idade inferior a 36 meses (2,3%). Destes, 55% eram do sexo masculino.O tempo médio de evolução foi 4,5 dias; 54% recorreu mais do que uma vez ao médico;30% foram medicados previamente com antibiótico. Vinte e três foram transferidas de outros hospitais.As queixas mais frequentes foram dor abdominal, febre, vómitos e diarreia. Verificaram-se alterações analíticas em 95%, e todos realizaram ecografia abdominal. Todos foram operados e constatou-se intra-operatoriamente apendicite complicada em90%. A mediana do internamento foi 7 dias(mín 3, máx 15).Registaram-se complicações pós-operatórias em 21%:3 infecções da ferida operatória, 2 abcessos residuais e 2 oclusões intestinais (1 com necessidade de cirurgia).

Conclusão: Nesta faixa etária a AA é um diagnóstico pouco frequente e um desafio clínico.A maioria dos doentes foi observada mais do que uma vez,e uma percentagem significativa foi medicado com antibiótico previamente ao diagnóstico de AA.A dificuldade no diagnóstico leva a uma demora no mesmo, levando a que na maioria se constate intra-operatoriamente apendicite complicada. A taxa de complicações pós-operatória foi aceitável.

Palavras-chave: Apendicite aguda.