imagem top

2020

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

CATATONIA EM UM ADOLESCENTE APÓS USO DE MEFEDRONA COMODROGA RECREATIVA

Joaquina Antunes1, Neide Urbano2, João Estrada3, José Ramos3, Joana Afonso2,José Pedro Vieira4, Lurdes Ventura3

1 Serviço de Pediatria, Hospital de São Teotónio, Centro Hospitalar Tondela-Viseu, EPE. Viseu, Portugal
2 Serviço de Pedopsiquiatria
3 Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos
4 Serviço de Neurologia. Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, EPE. Lisboa, Portuga

Scientia Medica (Porto Alegre) 2013; volume 23, número 3, p. 1-5

RESUMO

Objetivos: Os autores relatam um caso de catatonia secundária à exposição a mefedrona, um derivado semissintético do alcalóide catinona, e fazem uma revisão da literatura sobre essa substância que vem sendo usada crescentemente como droga recreativa.

Descrição do caso: Um adolescente de 14 anos foi levado ao serviço de emergência por apresentar quadro de agitação psicomotora grave com auto e heteroagressividade seguido de estupor, mutismo e acinesia. Ao exame na admissão apresentava-se sem resposta a estímulos. A investigação complementar não mostrou alterações relevantes. Durante a hospitalização apresentou dois episódios de agitação psicomotora grave e no restante do tempo manteve estado pseudocomatoso. Após ser conhecido o consumo de mefedrona previamente ao início do quadro, e perante a hipótese diagnóstica de catatonia, iniciou-se com lorazepam, com o que o paciente apresentou recuperação rápida e completa.

Conclusões: Segundo a bibliografia consultada, este é o primeiro relato publicado de catatonia associada ao consumo de mefedrona. O caso ilustra uma manifestação psiquiátrica grave secundária à exposição a essa droga recreativa, facilmente adquirida pelos adolescentes apesar de já terem sido descritos casos fatais associados ao seu consumo

Palavras-chave: catatonia; toxicidade de drogas; drogas ilícitas; transtornos por uso de substâncias psicoativas