imagem top

2020

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

ANÁLISE ESTRUTURAL DO SEGMENTO ANTERIOR POR TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓTICA NO GLAUCOMA CONGÉNITO PRIMÁRIO

Luísa Vieira1; Mariana Sá Cardoso2; Rita Anjos3; Cristina Ferreira4; Ana Xavier4; Vítor Maduro3; Cristina Brito4

1 Hospital Divino Espirito Santo de Ponta Delgada; Centro Hospitalar de Lisboa Central;
2 Centro Hospitalar do Baixo Vouga; Centro Hospitalar de Lisboa Central;
3 Serviço de Oftalmologia, Centro Hospitalar de Lisboa Central;
4 Oftalmologia Pediátrica, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central.                                                                                

  • 56º Congresso Nacional da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, Vilamoura, Dezembro 2013 (poster ou comunicação?)
  • Prémio Placido – melhor trabalho do Congresso

Introdução
A tomografia de coerência ótica de segmento anterior (AS-OCT) é um método de imagem de alta resolução que permite a visualização em cortes do segmento anterior. Tem sido utilizada maioritariamente em adultos, estando a sua aplicabilidade em crianças ainda por definir. O glaucoma congénito primário (GCP) é uma doença rara, causada por anomalias no desenvolvimento do ângulo da câmara anterior.

Objectivo
Analisar a morfologia do segmento anterior por AS-OCT em crianças com GCP.

Métodos
Realizou-se um estudo caso-controlo, prospectivo, em crianças com GCP e em crianças sem glaucoma (grupo controlo), seguidas em Consulta de Oftalmologia Pediátrica do Hospital Dona Estefânia, do Centro Hospitalar de Lisboa Central. Efectuou-se avaliação oftalmológica completa e AS-OCT (Visante®) utilizando o protocolo AC biometry.

Resultados
O estudo incluiu 27 olhos (17 crianças com GCP) e 22 olhos (11 crianças sem glaucoma). A idade não diferiu entre os dois grupos. A pressão intraocular foi maior no grupo com glaucoma (14,4+/-4,1 mmHg) comparativamente ao grupo controlo (12,3+/-2.6 mmHg). Detetaram-se valores significativamente superiores de profundidade central e largura da câmara anterior (CA) (p<0,001) e maiores distâncias de abertura do ângulo a 500 (p<0,001) e 750 μm (p=0,001), área de espaço irido-trabecular a 500 (p<0,001) e 750 μm (p<0,001) e área do recesso do ângulo a 500 (p<0,001) e 750 μm (p=0,001), nos doentes com GCP. A espessura da íris foi significativamente mais fina a 500μm do ângulo (p=0,011), no centro da íris (p<0,001) e na região mais espessa (p=0,001) no grupo glaucoma, assim como o comprimento da íris (p<0,001). A largura de CA e a acuidade visual em logMAR apresentam uma correlação positiva (r=0,688; p<0,001). Foram encontrados outros achados morfológicos: alteração da morfologia do ângulo, uma goniosinéquia, um espaço hiporefletivo escleral em relação com o local de intervenção cirúrgica (trabeculotomia e/ou trabeculectomia) e um tubo de válvula de Ahmed intracamerular.

Conclusões
Este primeiro estudo com AS-OCT em crianças com GCP revelou alterações a nível da câmara anterior, do ângulo e da íris, tendo a largura da CA se correlacionado com a função visual. A AS-OCT é um método de imagem não-invasivo, de aquisição relativamente fácil em crianças, que poderá ajudar no seguimento clínico e cirúrgico e ser útil como factor prognóstico destes doentes.

Bibliografia:
- Kim DY et al. Characteristics and reproducibility of anterior chamber angle assessment by anterior-segment optical coherence tomography. Acta Ophthalmol. 2011 Aug;89(5):435-41.
- Cauduro RS et al. Application of anterior segment optical coherence tomography in pediatric ophthalmology. J Ophthalmol. 2012;2012:313120.
- Basarir B, et al. Analysis of iris structure and iridocorneal angle parameters with anterior segment optical coherence tomography in Fuchs´uveitis syndrome. Int Ophthalmol. 2013 Jun;33(3):245-50.