imagem top

2020

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

ANAFILAXIA A BETA-LACTÂMICOS – quando a tolerância não exclui alergia…

A. Palhinha1, M. Lobato1, A. M. Romeira1, P. Leiria Pinto1,2

1 Serviço de Imunoalergologia, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;
2 CEDOC, Integrated Pathophysiological Mechanisms Research Group, Nova Medical School, Lisboa

Reunião nacional, apresentação sob a forma de Póster, 40ª Reunião Anual da SPAIC, 11 a 13 de Outubro de 2019, Palácio de Congressos de Albufeira

Introdução: Os beta-lactâmicos (BL) são uma das principais causas de anafilaxia em adultos. Estima-se que a penicilina (P) cause 0.7 a 10% de todas as anafilaxias, sendo raro esta ocorrer com a amoxicilina e ainda menos com cefalosporinas. A alergia a BL provoca sintomatologia após toma do fármaco implicado, podendo, em casos indicados, proceder-se a dessensibilização ao mesmo, o que conduzirá a tolerância temporária.
Caso clínico: Caso 1: homem de 49 anos, medicado com amoxicilina/clavulanato (A+C), deflazacort (D) e ibuprofeno (Ib) por amigdalite. Imediatamente após 1ª toma, iniciou prurido do couro cabeludo com generalização a todo o tegumento, eritema, edema da face e dispneia. No serviço de urgência (SU), foi medicado com clemastina, hidrocortisona e adrenalina e foi dada indicação para parar A+C e manter anti-histamínico e deflazacort. No dia seguinte, por manter odinofagia, reiniciou A+C, que fez 8 dias sem reacção, e suspendeu restante medicação. Posteriormente, tolerou Ib. Em consulta de Imunoalergologia (IAL), fez testes cutâneos por picada (TCP) com A+C, P, MDM, PPL e cefuroxima (C) que foram negativos e testes intradérmicos (TID) com os mesmos fármacos, que foram positivos no imediato para A+C e negativos para os restantes. Fez prova de provocação oral (PPO) com C que foi negativa.
Caso 2: mulher de 47 anos, que em menos de 1h após a 4ª toma de C (infecção urinária), iniciou prurido palmo-plantar e orofaríngeo e sensação de mal estar, seguido de incontinência de esfíncteres (anal e vesical). Tomou 50mg de hidroxizina e recorreu ao SU, altura em que apresentava também exantema disperso e edema dos lábios e língua. Fez hidrocortisona e metoclopramida e teve alta para domicílio medicada com prednisolona, mantendo a toma de C, que tolerou. Previamente, referia 2 episódios de exantema e edema da face, coincidentes com toma de antibiótico (num dos quais C). Em IAL, fez TCP que foram positivos para C, e TID para PPL,MDM, P e A+C que foram negativos. Tem PPO com amoxicilina programada.
Conclusão: A história clínica permitiu suspeitar que, apesar da tolerância verificada aos antibióticos, estaríamos perante anafilaxias aos BL envolvidos, o que foi suportado pela positividade dos TC, confirmando a reacção de hipersensibilidade nos casos apresentados. A anafilaxia conduziu a um provável consumo dos mediadores da inflamação alérgica, permitindo uma tolerância temporária dos mastócitos e basófilos aos fármacos em questão, a qual se manteve por exposição continuada.