imagem top

2020

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA PRIMEIRA INFÂNCIA: LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA PROFISSIONAIS E EDUCADORES

Luis Pereira-da-Silva 1-3

1 - Área da Mulher, Criança e Adolescência, NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa
2 - UCIN, Área da Mulher, Criança e Adolescente, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, Lisboa
3 - Dietética e Nutrição, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, Lisboa

- Rêgo C, Lopes C, Durão C, Pinto E, Mansilha H, Pereira-da-Silva L, Nazareth M, Graça P, Ferreira R, Lima RM, Vale S. Alimentação Saudável na Primeira Infância: Linhas de Orientação para Profissionais e Educadores. ed. Direção-Geral da Saúde, 1ª edição, 2019:1-137 (ISBN 978-972-675-292-9).

Apesar de existirem diversos documentos sobre a alimentação da criança, são poucos os que se dedicam aos primeiros anos de vida com uma visão multidisciplinar e que utilizem uma linguagem cientificamente adequada e ao mesmo tempo compreensível para um largo sector da população com responsabilidades na área. Este manual foi editado por uma equipa de diversos profissionais com larga experiência, da saúde à educação. Em cada capítulo procura-se cruzar a evidência científica mais recente com a experiência pessoal e profissional do autor, criando peças de fácil leitura, suportado por gráficos e quadros que permitem sintetizar as linhas de orientação. Em Portugal, a prevalência de excesso de peso atinge 29,6% das crianças com idades dos 6 aos 9 anos e 32,6% das crianças com idades compreendidas entre 1 e 3 anos. Uma estratégia nacional para a promoção da alimentação saudável como a que a Direção-Geral da Saúde preconiza através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável não poderia deixar de nortear esta publicação. Espera-se que os utilizadores deste manual, profissionais de saúde, de educação, pais e educadores disponham de informação de qualidade e gratuita, para orientar decisões mais informadas.

Palavras Chave: alimentação saudável, educadores, Portugal, primeira infância, profissionais de saúde